GPS contradiz versão de ex-namorado

A polícia obteve os dados do GPS do carro do ex-policial militar Mizael Bispo, de 40 anos, e confirmou que seu Kia Sportage permaneceu por três horas e meia parado no estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo no dia 23, data do desaparecimento da advogada Mércia Nakashima, de 28 anos.

Elvis Pereira e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2010 | 00h00

Em seu primeiro depoimento, Bispo havia dito que ficou das 18h40 às 22h38 no estacionamento com uma prostituta. Ele é o principal suspeito do sumiço da advogada.

O problema é que um guardador de carros afirmou tê-lo visto parar ali e embarcar em outro veículo. Para resolver essa contradição, a polícia vai ouvir Bispo de novo hoje. Mércia sumiu após almoçar na casa de familiares.

Ontem, policiais fizeram o trajeto entre a residência e o hospital e gastaram cerca de cinco minutos. "É só descer uma rua. Acho que ela saiu da casa da avó e pegou ele ali", disse o delegado Antonio Olin, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo Olin, as demais informações repassadas pelo suspeito foram averiguadas. Dois dias antes de ela desaparecer, o casal jantou numa praça de alimentação e foi ao cinema. "Ele trouxe os ingressos do cinema e o comprovante do estacionamento." No dia seguinte, saíram novamente, no carro da advogada. No fim do encontro, o ex-PM a seguiu até a casa dela. O DHPP aguarda agora os dados do telefone celular da advogada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.