Governo vê 'motivação política'

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, foi quem respondeu pela falha da CPTM. Ele afirmou que a companhia está dentro dos padrões internacionais de falhas de operação e considera o problema de ontem "normal". Ele disse acreditar em "motivação política" por trás do quebra-quebra na Estação Francisco Morato. "Todas as estações tiveram problemas. Por que só lá houve esse tumulto?"

O Estado de S.Paulo

30 Março 2012 | 03h03

O secretário, porém, evitou falar qual seria o suposto grupo responsável e chamou os envolvidos de "vândalos". Já Aloysio Salotti, o titular da Delegacia de Francisco Morato, que recebeu os detidos na ação, tem opinião diversa. "Não foi ação premeditada. Foi algo de momento."

Passageiros ouvidos pelo Estado dizem que o tumulto foi a "gota d'água" de uma série de problemas na CPTM: trens lotados, atrasados, inseguros e uma estação com infraestrutura precária, sem acessibilidade e em obras há três anos. "Falam que demora 50 minutos para chegar até a Estação Luz, mas nunca leva menos de 1h10", diz o conferente Elias Lima de Souza, de 20 anos. / B.R. e W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.