Governo vai testar monitoramento eletrônico de presos

O governo deve implantar ainda este ano o projeto-piloto de monitoramento eletrônico. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) testará o sistema em Alagoas e na Paraíba. Inicialmente, serão beneficiados 800 presos provisórios em cada Estado.

O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2012 | 03h06

Prevista na Lei de Execução Penal, a adoção de tornozeleiras ou pulseiras eletrônicas quer reduzir a população carcerária no País, que já ultrapassou 500 mil pessoas, e evitar que presos provisórios se misturem a criminosos perigosos.

Alguns Estados brasileiros já adotaram o monitoramento eletrônico. Aproximadamente 200 mil pessoas cumprem prisão provisória no País - 40% do total de detentos. /A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.