Governo suspende licitação de transporte escolar por suspeita de fraude

Técnicos encontraram documentos falsos durante processo para escolas de Tabão da Serra, na Grande São Paulo

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

14 Janeiro 2017 | 16h17

SÃO PAULO - A Secretaria Estadual da Educação divulgou nota nesta sexta-feira, 13, em que informa ter suspenso licitação de R$ 500 mil para a contratação de transporte escolar para 2 mil crianças em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, após os técnicos suspeitarem de documentos apresentados por uma das empresas que participava da disputa.

A licitação era feita na sede da secretaria, na modalidade pregão eletrônico e havia 12 empresas na disputa. Segundo a Pasta, "a suspeita de fraude foi levantada durante a fase de abertura das propostas dos contratos. Nessa etapa, as transportadoras  precisam apresentar documentos que comprovem a capacidade técnica de execução".

A fraude foi descoberta, ainda de acordo com as informações do governo, quando os técnicos checaram dois documentos apresentados pela empresa Cristiano Capputti Locadora e Transporte. Os papéis davam conta de que a empresa havia prestado serviços similares a uma prefeitura e uma instituição de ensino superior. "Após a coordenadoria da Pasta, responsável pela contratação, checar os documentos com a instituição de ensino e a prefeitura, obteve resposta que as assinaturas eram falsas", informa a secretaria.

Dois representantes da empresa foram levados ao 3.º Distrito Policial (Santa Ifigênia). A nova data da licitação ainda será marcada.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Área Metropolitana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.