Felipe Palma/Rádio Estadão
Felipe Palma/Rádio Estadão

Governo oferece R$ 50 mil por informações sobre tiro em PM

Adriana da Silva Andrade, de 29 anos, foi atingida por um tiro de fuzil na manhã desta quarta-feira enquanto fazia patrulhamento de rotina

Marina Gama Cubas, O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2015 | 20h43

SÃO PAULO - O secretário da Segurança Pública Alexandre de Moraes fixou em R$ 50 mil o valor a ser pago a quem fornecer informações que levem aos responsáveis pela tentativa de homicídio da policial militar Adriana da Silva Andrade, de 29 anos, atingida por um tiro de fuzil nesta quarta-feira, 26 de agosto.

Esse é o valor é o mais alto entre as recompensas oferecidas pelo Governo do Estado para a resolução de crimes ou encontro de foragidos da Justiça. É o mesmo valor a ser concedido a quem tiver informações sobre a chacina em Osasco e em Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo, que ocorreu em 13 de agosto e resultou em 18 mortos.

Na madrugada desta quarta-feira, uma quadrilha explodiu um caixa eletrônico no pátio da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e feriu a policial militar com tiro de fuzil. Enquanto os ladrões retiravam o dinheiro, uma viatura da PM fazia patrulha na Avenida Doutor Gastão Vidigal, em um trabalho de rotina.

Os policiais não haviam sido avisados sobre a ocorrência e foram surpreendidos pelos bandidos, que dispararam contra o carro. Um tiro de fuzil atravessou o para-brisa da viatura e atingiu uma agente da PM na cabeça. Encaminhada ao Hospital das Clínicas, Adriana foi operada e permanecia internada em estado grave até a noite desta terça-feira. 

As informações para auxiliar nas investigações devem ser encaminhadas ao site do Webdenuncia (www.webdenuncia.org.br). Qualquer pessoa que encaminhar denúncias ao serviço tem a garantia do anonimato. 


Tudo o que sabemos sobre:
mortepolicial militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.