Governo federal põe polícia em estradas

Policiais rodoviários de outros Estados foram para o Rio; folgas estão suspensas

Mariângela Gallucci / BRASÍLIA Gabriela Moreira / RIO, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2010 | 00h00

Para tentar ajudar o governo do Rio a conter a onda de violência, o governo federal mobilizou a Polícia Rodoviária Federal e reforçou o patrulhamento de estradas federais. De acordo com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, também foram determinadas a suspensão de folgas, o pagamento de horas extras e o deslocamento de policiais de Estados próximos. "Tudo aquilo que nós pudermos (fazer para) ajudar o Rio de Janeiro neste momento nós vamos fazer", afirmou Barreto. Segundo ele, o governador Sérgio Cabral (PMDB) solicitou num primeiro momento o apoio da Polícia Rodoviária Federal. "E já atendemos", disse.

Cabral havia feito o pedido ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pela manhã, por telefone. Lula afirmou que "fará o que for necessário para que as pessoas de bem derrotem aqueles que querem viver na marginalidade". O ministro afirmou que se o governo do Rio considerar necessário serão colocados à disposição o sistema penitenciário nacional, a Força Nacional e a Polícia Federal.

Ele negou, porém, que exista algum tipo de intervenção federal no caso ou no Estado. "Estamos colocando à disposição tudo o que é necessário e só vamos acionar o que o governo estadual achar necessário."

Para Barreto, os incidentes podem ser uma reação ao sucesso do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). "Mas o que importa é o Estado continuar firme. Ele vai enfrentar o crime organizado e certamente vai vencer essa disputa."

Obrigação. Na opinião do secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, o governo federal tem "obrigação" de reforçar o combate ao tráfico de drogas no Estado. Tratado no âmbito político como uma ajuda, o aumento do efetivo da Polícia Rodoviária Federal, anunciado ontem por Brasília, "é um dever constitucional", afirmou. "O governo federal não enviou ajuda. O governo federal está cumprindo a sua obrigação. A Polícia Rodoviária tem obrigação constitucional de controlar as rodovias federais, como as que passam, por exemplo, pela Baixada."

Segundo o secretário, o pedido de auxílio foi necessário depois que bandidos começaram a incendiar veículos nas rodovias federais. "Não há uma ajuda. O que eu fiz foi pedir que eles, a exemplo do que está sendo feito aqui, intensificassem a presença dos policiais rodoviários naquela área em que nós tivemos dois ou três incidentes."

Sem detalhes. A Polícia Rodoviária Federal não detalhou como será o reforço enviado às estradas federais do Rio. "O que se pode afirmar é que a estrutura de combate à criminalidade do Rio de Janeiro pode ser duplicada e até triplicada. Lógico que isso não inclui apenas o efetivo, mas falo também de recursos aplicados na área, viaturas, área de inteligência. Tudo isso compõe a estrutura que será ampliada", afirmou o chefe de comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Rio, inspetor Alexandre Castilho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.