Governo e Prefeitura vão ampliar atendimento a usuários de crack

Parceria prevê que, até o fim do ano, mais dez unidades de Centro de Apoio Psicossocial de Álcool e Drogas passem a funcionar 24 horas

Tiago Dantas - O Estado de S. Paulo,

26 Abril 2013 | 12h14

Governo do Estado e Prefeitura de São Paulo assinam nesta sexta-feira, dia 26, um termo de cooperação para tentar ampliar o atendimento aos usuários de crack. Uma das alterações prevê que, até o fim do ano, mais dez unidades de Centro de Apoio Psicossocial de Álcool e Drogas (CAPS AD) passem a funcionar 24 horas e possam atender, também, familiares que não estejam acompanhados pelos usuários de drogas. Hoje, cinco CAPS ficam abertos o dia todo.

A mudança deve diminuir a procura pelo Centro de Referência a Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), no centro, que teve aumento nos atendimentos a partir de 21 de janeiro, quando um plantão judiciário passou a funcionar ali para agilizar casos de internação involuntária.

Outra mudança prevista no acordo é a disponibilização de cinco equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), formadas por médicos especialistas no atendimento a dependentes químicos, que trabalhariam exclusivamente com os usuários de drogas. As novas equipes se somariam aos 140 grupos de atendimento médico do Samu que operam na capital.

Mais conteúdo sobre:
CrackCAPSCratod

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.