Governo do Estado vai aumentar investimento com metrô em 10%

Mesmo com orçamento maior em 2012, nenhuma estação será aberta; verbas maiores vão para Linhas 2-Verde e 5-Lilás

ADRIANA FERRAZ, BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2011 | 03h02

Em 2012, a gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai aumentar em 10% os investimentos no Metrô. Segundo proposta orçamentária enviada ontem à Assembleia Legislativa, o valor destinado às obras de expansão e modernização da rede vai passar dos atuais R$ 4,4 bilhões para R$ 4,9 bilhões. Mas, apesar dos números, nenhuma estação vai sair do papel no próximo ano.

Com a previsão de investimentos dedicados à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e os gastos com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e o funcionamento da secretaria, o orçamento dos Transportes Metropolitanos poderá chegar a R$ 6,6 bilhões. A soma inclui recursos do Tesouro estadual (arrecadação mais transferências) e recursos vindos de empréstimos.

Nos planos do Metrô, o Expresso Tiradentes será a prioridade do governo, com R$ 1,6 bilhão. O monotrilho em construção na zona leste da capital vai ligar a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, na zona leste. A primeira estação, Oratório, deve ser entregue no fim de 2013.

A Linha 5-Lilás, em obras na zona sul, será a segunda na lista de importância, caso o projeto seja aprovado pelos deputados estaduais. A previsão é gastar até R$ 1,5 bilhão na extensão do ramal desde a Estação Largo Treze, na região de Santo Amaro, até a Chácara Klabin, para integração com a Linha 2-Verde.

Prevista para ter as obras iniciadas em, no máximo, dois meses, a Linha 17-Ouro receberá R$ 507 milhões do orçamento para ligar o Aeroporto de Congonhas à região do Morumbi.

O valor é semelhante ao montante reservado às obras da segunda fase da Linha 4-Amarela, com R$ 471 milhões.

No lado oposto da lista de prioridades, as Linhas 1-Azul e 3-Vermelha, as mais movimentadas do Metrô, são as que menos receberão investimentos da gestão. Ambas somam R$ 473 milhões para reforma de 24 trens e do sistema de sinalização. Apesar de completas, as duas requerem obras de modernização e de ampliação, caso da Estação Corinthians-Itaquera, na zona leste, apontada como a estação da Copa do Mundo, em função da proximidade com o futuro estádio do Corinthians, previsto para receber a inauguração do Mundial.

E a Linha 6-Laranja, prevista para ser construída por meio de Parceria Público-privada (PPP), é a menos contemplada na peça orçamentária. O edital ainda não foi lançado e as obras não têm previsão de início, mesmo em 2012.

Na CPTM, o governo pretende gastar R$ 1 bilhão com obras de modernização de estações, No caso da Linha 8-Diamante, está prevista uma estação nova: Santa Rita, em Itapevi. Entretanto, o total investido nos trens em 2012 será quase 10% menor do que o previsto para este ano.

Rodoanel. O Trecho Norte do Rodoanel deve receber R$ 1,5 bilhão em obras no próximo ano. Já o investimento total em rodovias administradas pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) vai chegar a R$ 2 bilhões, dos quais R$ 1,1 bilhão é para a duplicação, construção e obras conveniadas na malha rodoviária e R$ 873 milhões para a recuperação de estradas estaduais. No total, a previsão é de R$ 10,5 bilhões os transportes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.