Governo do Estado recorre a ônibus grátis para desafogar trem e metrô

Medida vale para as 55 linhas do Terminal Santo Amaro; ideia é evitar que usuário chegue às superlotadas Linhas 9, da CPTM, e 4-Amarela

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2012 | 03h02

Na tentativa de desafogar as superlotadas Linhas 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), e 4-Amarela, do metrô, o governo do Estado vai pagar a passagem de ônibus dos usuários do Terminal Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. A ideia é que esses passageiros optem pelo ônibus em vez de seguir viagem pelos ramais.

A medida vale a partir de 15 de outubro, durante todo o dia, para passageiros que vêm da Estação Largo Treze, da Linha 5-Lilás do metrô - e só para quem usa bilhete único, ou 85% dos usuários, segundo o governo.

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, "culpa" o crescimento da demanda em pouco tempo pela superlotação. "Na Estação Santo Amaro, há dois anos, você tinha 8 mil passageiros por dia. Agora, tem 160 mil. Cresceu 20 vezes", afirma Fernandes.

Para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que anunciou a mudança ontem pela manhã, a medida é um "gerenciamento da demanda existente". "Estamos aumentando a oferta (de linhas no Metrô). Mas precisamos gerenciar a demanda", afirmou.

A novidade vai funcionar da seguinte forma: o passageiro que usa bilhete único vai pagar R$ 3 para acessar a Linha 5 e precisará desembarcar na Estação Largo Treze, parada final do ramal. De lá, vai caminhar até o Terminal Santo Amaro da SPTrans e, sem pagar passagem, embarcará em qualquer uma das 55 linhas de ônibus que operam no local.

A economia é de R$ 1,65 por viagem - mesmo valor que o usuário economizaria caso optasse por fazer integração com trens para seguir até o centro da cidade. Na volta para casa, quem embarcar na Estação Largo Treze depois de descer do ônibus também não pagará o bilhete.

O governo do Estado não revelou quanto vai gastar com a medida e quantas pessoas devem ser beneficiadas. A política deve durar até a abertura do prolongamento da Linha 5-Lilás até a Estação Chácara Klabin, na zona sul, prevista para 2015.

Demanda. O crescimento do número de usuários é resultado da abertura da Linha 4-Amarela, no ano passado. Os usuários da Linha 5 descem em Santo Amaro, fazem integração com a Linha 9-Esmeralda da CPTM e seguem até a Estação Pinheiros, da 4-Amarela.

A ViaQuatro, empresa que gerencia a Linha 4-Amarela, afirmou, em nota, que "todas as medidas que visam a proporcionar mais conforto aos usuários são bem-vindas". A linha privada, que contabiliza 666 mil passageiros por dia, pode perder receita com a medida. Segundo a concessionária, porém, "haverá apenas uma redistribuição do fluxo de passageiros".

Desconto. Outra medida confirmada ontem para conter a superlotação pelo menos no horário de pico da manhã foi o desconto de R$ 0,50 na tarifa na Linha 5-Lilás e na 9-Esmeralda da CPTM, das 9h às 10h, de segunda a sexta.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos pretende fazer com que parte dos usuários da rede espere um pouco para embarcar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.