Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019
Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019

Governo vai conceder Zoológico de São Paulo à iniciativa privada

Medidas foram anunciadas por João Doria, que ouvirá mercado até novembro para elaborar um modelo de concessão

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2019 | 12h53
Atualizado 06 de abril de 2019 | 17h04

O governador João Doria (PSDB) vai conceder à iniciativa privada o Zoológico de São Paulo, o Zoo Safari e o Jardim Botânico, na zona sul da capital paulista. A união dos três parques em um só pacote é uma tentativa da gestão de garantir a cessão do Botânico, equipamento com prejuízo anual de R$ 4 milhões e somente 270 mil visitantes por ano – considerado um público baixo pelo governo. 

"Por isso colocamos o Jardim Botânico com o Zoológico. Isso permite um manejo dessa operação, para que ambos possam ser bem administrados e bem geridos. E a modelagem estando de pé termos propostas", disse o tucano. Até novembro, o governo sentará com empresários para elaborar o modelo de concessão. A inspiração é o modelo implementado no Parque Nacional de Iguaçu, no Paraná. "Ali, aumentou exponencialmente a visitação depois que passou a ser administrado pelo setor privado."

A empresa vencedora será responsável por modernização e manutenção das três áreas. A previsão é de publicar o edital até fevereiro e assinar o contrato após 60 dias. O projeto de concessão foi enviado à Assembleia Legislativa em março. "Estamos aguardando deliberação, mas a indicação é de que será aprovado", afirmou Doria. 

Após a definição da modelagem, o projeto será submetido a consulta e audiências públicas no fim deste ano. O investimento mínimo previsto nos três equipamentos é de R$ 60 milhões por ano. A empresa vencedora será responsável pela manutenção e gestão dos três locais por 35 anos. A parte de pesquisa dos três parques continuará sob responsabilidade do governo estadual. 

Com a concessão, a expectativa do governo estadual é de economizar R$4 milhões anuais – valor do déficit do Jardim Botânico. O Zoológico tem superávit de R$ 1 milhão por ano. Por ano, o Zoológico e o Zoo Safari recebem 1,3 milhão de visitantes. 

Uma concessão prevê que as empresas paguem por uma outorga, que é um valor entregue ao governo na assinatura do contrato. Após o início da operação, a empresa repassa ao governo parte do faturamento e obedece a uma série de contrapartidas. 

 

Campos do Jordão

Nesta quinta-feira, 4, foram assinadas as concessões das áreas turísticas dos Parques Estaduais Capivari e Campos do Jordão. Os investimentos da iniciativa privada nos locais somam mais de R$43 milhões, que serão aplicados em ações de infraestrutura e fomento ao turismo. 

A empresa Urbanes Empreendimentos será a responsável pelo Parque Estadual de Campos do Jordão, mais conhecido como Horto Florestal. O Parque Capivari, hoje gerenciado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ) será administrado pela empresa Eco Jordão S.A. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.