Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019
Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019

Governo vai conceder Zoológico de São Paulo à iniciativa privada

Medidas foram anunciadas por João Doria, que ouvirá mercado até novembro para elaborar um modelo de concessão

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2019 | 12h53
Atualizado 06 de abril de 2019 | 17h04

O governador João Doria (PSDB) vai conceder à iniciativa privada o Zoológico de São Paulo, o Zoo Safari e o Jardim Botânico, na zona sul da capital paulista. A união dos três parques em um só pacote é uma tentativa da gestão de garantir a cessão do Botânico, equipamento com prejuízo anual de R$ 4 milhões e somente 270 mil visitantes por ano – considerado um público baixo pelo governo. 

"Por isso colocamos o Jardim Botânico com o Zoológico. Isso permite um manejo dessa operação, para que ambos possam ser bem administrados e bem geridos. E a modelagem estando de pé termos propostas", disse o tucano. Até novembro, o governo sentará com empresários para elaborar o modelo de concessão. A inspiração é o modelo implementado no Parque Nacional de Iguaçu, no Paraná. "Ali, aumentou exponencialmente a visitação depois que passou a ser administrado pelo setor privado."

A empresa vencedora será responsável por modernização e manutenção das três áreas. A previsão é de publicar o edital até fevereiro e assinar o contrato após 60 dias. O projeto de concessão foi enviado à Assembleia Legislativa em março. "Estamos aguardando deliberação, mas a indicação é de que será aprovado", afirmou Doria. 

Após a definição da modelagem, o projeto será submetido a consulta e audiências públicas no fim deste ano. O investimento mínimo previsto nos três equipamentos é de R$ 60 milhões por ano. A empresa vencedora será responsável pela manutenção e gestão dos três locais por 35 anos. A parte de pesquisa dos três parques continuará sob responsabilidade do governo estadual. 

Com a concessão, a expectativa do governo estadual é de economizar R$4 milhões anuais – valor do déficit do Jardim Botânico. O Zoológico tem superávit de R$ 1 milhão por ano. Por ano, o Zoológico e o Zoo Safari recebem 1,3 milhão de visitantes. 

Uma concessão prevê que as empresas paguem por uma outorga, que é um valor entregue ao governo na assinatura do contrato. Após o início da operação, a empresa repassa ao governo parte do faturamento e obedece a uma série de contrapartidas. 

 

Campos do Jordão

Nesta quinta-feira, 4, foram assinadas as concessões das áreas turísticas dos Parques Estaduais Capivari e Campos do Jordão. Os investimentos da iniciativa privada nos locais somam mais de R$43 milhões, que serão aplicados em ações de infraestrutura e fomento ao turismo. 

A empresa Urbanes Empreendimentos será a responsável pelo Parque Estadual de Campos do Jordão, mais conhecido como Horto Florestal. O Parque Capivari, hoje gerenciado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ) será administrado pela empresa Eco Jordão S.A. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.