Governo de SP decide manter contrato para obras da Linha 5-Lilás do Metrô

Processo havia sido barrado após denúncia de que vencedores de lotes seriam conhecidos

Renato Machado, O Estado de S. Paulo

19 de maio de 2011 | 14h24

SÃO PAULO - O governo do Estado de São Paulo decidiu manter o contrato para as obras da Linha 5-lilás, da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). O processo havia sido barrado após denúncia de que os vencedores dos lotes 2 a 8 seria conhecidos antes mesmo da abertura dos envelopes, em outubro do ano passado. As obras começam em 15 dias.

 

O edital da licitação previa que uma empresa ou consórcio de empresas poderia vencer apenas um dos oito lotes em disputa. Isso significa que o ganhador do lote 1, por exemplo, não teria as propostas para os demais trechos abertas.

 

Quando houve a abertura dos envelops neste ano - a pedido do Metrô e da Justiça - foi constatado que algumas propostas vencedoras eram maiores do que de outras concorrentes. No entanto, essas empresas que ofereceram valores menores não poderiam vencer o lote, pois já haviam conquistado outros. 

 

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, informou que foram realizados laudos técnicos que não chegaram a uma conclusão, apresentando apenas "indícios". "Esses documentos são insuficientes para efetuarmos uma quebra de contrato", informou à reportagem nesta quarta.

 

A obra de prolongamento do ramal estava prevista entre o Largo Treze e a Chácara Klabin. Antes de ser suspenso, o custo do projeto era estimado em cerca de R$ 4 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
Metrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.