Governo cria comissão para analisar caso a caso

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse ontem que os salários de todos os coronéis da Polícia Militar do Estado - assim como os vencimentos de todo o secretariado do governo paulista - estão sendo analisados individualmente por mais de um órgão de controle.

O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2012 | 03h04

"Nós estamos checando caso por caso, um por um, direitinho. (Participam) a Controladoria do Estado, a Corregedoria, a (Secretaria da) Casa Civil e a PGE (Procuradoria-Geral do Estado)", afirmou o governador.

Alckmin garantiu que o teto do poder executivo, R$ 18,7 mil, será respeitado e, no caso dos secretários que participam de comissões de empresas públicas e ganham salários extras, haverá um limite de pagamento de até duas comissões. Nas demais, eles trabalharão sem receber.

"Às vezes, por lei, um secretário precisa participar de quatro, cinco comissões. Pode participar, mas não poderá receber", disse Alckmin. / BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.