Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Governo antecipa integração da Estação Pinheiros com a CPTM para 2 de junho

Na inauguração da estação da cratera, abertura das paradas Luz e República também foi adiantada

Marília Lopes, Estadão.com.br

16 de maio de 2011 | 12h27

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta segunda-feira, 16, durante a inauguração da Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela do Metrô, que a integração com a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) será antecipada para o dia 2 de junho.

 

Enquanto a integração não é feita, os usuários precisarão pagar duas passagens para utilizar os trens da CPTM e o metrô. Segundo o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, não é viável dar um bilhete aos passageiros que precisam fazer da integração já que a região não é muito segura para andar a pé. "Resolvemos adiantar em um mês a integração entre as estações", disse.

 

A abertura de mais duas estações da Linha Amarela, República e Luz, também será adiantada. Antes previstas para dezembro deste ano, as novas paradas deverão ser inauguradas em outubro, segundo Fernandes. "As duas estações serão entregues à população juntas, a inauguração será no mesmo dia ou na mesma semana", afirmou.

 

Atualmente, o funcionamento da Estação Pinheiros é o mesmo que o do restante da Linha 4: das 4h40 às 15 horas. Após a integração entre trem e metrô, o funcionamento deve ser estendido em todo o ramal até a meia-noite. "É provável que uma semana após a integração das estações, nós consigamos estender o horário", disse o secretário.

 

Usuários. A Linha 4-Amarela, cujas estações Paulista, Faria Lima e Butantã já estão em funcionamento, recebe cerca de 40 mil usuários por dia. Após a integração com a Linha 9-Esmeralda da CPTM a estimativa do governo é que a linha passe a receber 240 mil usuários por dia. "Teremos a região de Osasco e a região oeste de São Paulo integradas com o trem e o metrô", disse Alckmin. Depois da inauguração das estações República e Luz deve ter mais de 700 mil usuários por dia.

 

Instalação. A Estação Pinheiros fica a 31,25 metros abaixo do nível da rua, o equivalente a um prédio de dez andares. O local tem um bicicletário para os usuários que pretendem pegar o Metrô e deixar a bicicleta na estação. "É a linha mais moderna, com trens novos, ar-condicionado, câmeras de vídeo. Não tem nem maquinista, é operada por sistema, que é o que há de mais moderno no mundo", afirmou Alckmin.

 

Entretanto, a estação ainda não tem banheiros públicos. Os banheiros inicialmente construídos para os funcionários foram liberados para uso da população. Alckmin afirmou que não há obrigatoriedade de ter banheiros nas estações. "As estações do Metrô nunca tiveram banheiros, as novas passarão a ter", disse o governador.

 

O secretário disse que as estações passam por adaptações para instalação de banheiros. "Essa estação já estava em acabamento e não deu pra fazer banheiro aqui", explica.

 

Veja também:

linkEstação abre sem banheiro e sinal de celular

linkGrupo protesta contra PPP e acidente de 2007

mais imagens Galeria de fotos da inauguração em Pinheiros

especialInfográfico: Relembre a maior tragédia do Metrô

 

 

Texto atualizado às 15h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.