Governar é dar parabéns!

Inapetência

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

13 Abril 2012 | 03h06

Carla Bruni está preocupada. Nicolas Sarkozy parou de comer queijo! Começa assim!

37,8°

Uma febrezinha de nada tirou José Sarney da festa de aniversário do PMDB num hotel de Brasília. Nada que justifique nenhuma onda de otimismo no País.

Marca registrada

Corre no Distrito Federal o boato de que, no mundo da contravenção, o governador Agnelo Queiroz era chamado de "01" para ser identificado pelo zero à esquerda!

Cabo eleitoral

FHC está de malas prontas para a China e o Oriente Médio. O ex-presidente vai dar uma força à campanha de José Serra! Foi isso, pelo menos, que ele disse em casa.

Esconjuro

Os umbandistas de Goiás suspenderam, até segunda ordem, todo despacho em cachoeira do Estado.

Mal comparando

No rastro da decisão do STF sobre anencéfalos, responda rápido: político sem cérebro deve ser abortado do Congresso?

Clube da esquina

Milton Nascimento e Toninho Horta fizeram as pazes! Isso quer dizer o seguinte: nada, absolutamente nada! Relaxa, vai!

Ti-ti-ti

Que diabos Hillary Clinton e Antônio Patriota tanto tricotam? A secretária de Estado dos EUA e o chanceler brasileiro encontram-se novamente na segunda-feira, em Brasília.

Antes que algum palhaço resolva se candidatar em 2014 prometendo depois contar ao eleitor o que faz um governador, vai aqui um desestímulo: governar é uma chatice danada, especialmente para quem é honesto no exercício do mandato!

Olha só o exemplo do governador de Goiás, Marconi Perillo, explicando um telefonema seu para Carlinhos Cachoeira: "Eu ligo todos os dias para algumas dezenas de pessoas cumprimentando pelo aniversário!"

Sabe lá o que é isso? Afora a listinha de primos, tios, cunhados e afilhados aniversariantes que a mãe do governador se encarrega de lembrar - "Dá um alô pra dinda, filho!" -, Perillo recebe "cotidianamente" em seu gabinete uma relação de "empresários, políticos, bispos, pastores, etc" a quem deve parabenizar nesta data querida.

É natural que, de vez em quando, ligue para alguém que até já morreu ou é vivo demais para merecer felicitações.

Governar, como se vê, não é brinquedo, não!

* * *

Se é mesmo verdade que Agnelo Queiroz tentou marcar encontro com Carlinhos Cachoeira, resta saber por que o bicheiro de Goiás não recebeu o governador do Distrito Federal! Vai ver não gosta que lhe façam festa pessoalmente, né?

Assim não dá!

O cantor sertanejo Luciano não pode ter mais uma dor de barriga que o Brasil logo pensa que ele está se separando de Zezé di Camargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.