Governador do Acre ameaça denunciar secretária de SP por 'higienização'

Tião Viana (PT) criticou forma como São Paulo tem recebido haitianos; especialista afirma que processo na Organização dos Estados Americanos (OEA) é medida impossível

O Estado de S. Paulo

25 Abril 2014 | 11h05

Em entrevista à Rádio Estadão na manhã desta sexta-feira, 25, o governador do Acre Tião Viana (PT) rebateu críticas e ameaçou denunciar a secretária de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania, Eloisa de Souza Arruda, por "por preconceito e tentativa de higienização" em relação aos imigrantes haitianos que se deslocaram para São Paulo. Especialista ouvida pelo Estado afirma que processo na Organização dos Estados Americanos (OEA) é medida impossível.

Nesta quinta-feira, 24, Eloisa de Souza Arruda, ameaçou denunciar o Acre à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) - entidade da OEA - em razão do envio de haitianos para a capital paulista nos últimos 15 dias. Arruda classificou como "violação da dignidade" dos cidadãos haitianos o envio dos imigrantes para São Paulo.

O governador do Acre criticou a forma como São Paulo tem recebido os haitianos e questionou a relutância do Estado em acolher os imigrantes. "Somos um estado pobre, damos acolhimento, damos as quatro refeições por dia. Eu vi no jornal que só estão dando uma refeição. Por que isso se nós damos quatro?", questionou.

Na entrevista, Tião Viana argumentou que as pessoas são livres para se deslocar. "Essas pessoas, desde dezembro de 2010, se dirigem para onde elas querem. Ou vem empresários de outros Estados convidá-las para trabalharem em suas empresas, ou eles compram suas passagens ou quando pedem as passagens nós atendemos para onde eles querem ir. Eles vão geralmente para Porto Velho, Cuiabá, São Paulo, Goiânia, Curitiba, Belo Horizonte, Florianópolis, Porto Alegre.", disse.

O governador ainda rebateu as críticas: "fui ofendido e querem me obrigar a deixar as pessoas no Acre, porque é longe de São Paulo. Quantas mil pessoas vão a São Paulo por dia? Agora porque são pobres haitianos tem esse incômodo?"

Questionado sobre se o Estado de Acre comunicou a São Paulo a chegada dos imigrantes, o governador rebateu dizendo que não sabe de "nenhum caso na história do Brasil que um governo de uma população que queira se deslocar para qualquer Estado tenha que se comunicar antes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.