''Gosto mais do compasso da cidade hoje''

Rosanne Martins,escritora carioca que voltou há um ano para SP

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2011 | 00h00

Meio carioca, meio canadense, a escritora Rosanne Martins morou em São Paulo na década de 1970 e se formou no curso de Artes Dramáticas da USP. Em 2000, decidiu acompanhar as filhas em um intercâmbio no Canadá e se encantou pelo país: morou na cidade de Winninpeg por dez anos, onde decidiu escrever o livro Por que sonhar se não para realizar? Em São Paulo, dá palestra sobre o livro na quinta-feira no Espaço Ultrafarma (Rua Isaías Salomão, 100).

Canadá. "Nasci no Rio e vivi em São Paulo, mas me considero canadense também. Morando lá, encontrei uma paz que a gente nem sabe que existe quando vive em São Paulo. Aqui temos um contato diário com o estresse, não das pessoas, mas da cidade. Enquanto lá você se programa para fazer dez tarefas no dia e consegue, aqui você fica enrolado o dia inteiro em uma coisa só e não consegue. Tudo dá trabalho e é difícil."

Asfalto. "Adoro o burburinho, os restaurantes, essa coisa paulistana de badalação. Até do asfalto eu gosto. Há mais de 20 anos, quando morei aqui, era um lugar mais tranquilo, mas gosto mais do compasso da cidade hoje."

Rio. "Me sinto mais paulistana que carioca. Mas só na prática, não de coração. Continuo tendo um carinho muito grande pela minha cidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.