Golpista liga para delegacia

Policial fingiu ser vítima e prendeu suspeito

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2012 | 03h04

O investigador Martinez, de 31 anos, cumpria mais um expediente na Delegacia Seccional Norte quando o telefone tocou. A ligação, a cobrar, chamou a atenção. Na linha, um criminoso tentava aplicar um golpe e pedia por 'Reginaldo'. "Me passei pela pessoa que ele procurava e vi que era uma mistura de 'golpe do sequestro' com o 'golpe do sobrinho'", descreve o policial, que prendeu o acusado horas depois, na tarde de segunda-feira.

Para o policial, o criminoso "deu azar". "Eles ligam aleatoriamente, mas dessa vez caiu em uma delegacia. Desconfiei do barulho no fundo da ligação e fui conversando." Martinez fingiu ser Reginaldo. O suspeito exigiu R$ 3 mil e tinha voz desesperada. Primeiro, disse que o filho da vítima tinha batido em seu carro. Depois, partiu para ameaças de morte. O investigador marcou o encontrou para pagar o resgate.

Na Avenida Parada Pinto, perto do Horto Florestal, um motoboy contratado pelo criminoso receberia o pagamento. O motoboy disse que entregaria o dinheiro na Avenida Assis Ribeiro, na zona leste. Auxiliado por outros dois policiais, o investigador foi até o endereço e prendeu o ajudante-geral Wimbledon Elias da Silva Minhaco, de 22 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.