Goleiro diz que ex-amante entregou filho para seu amigo

O goleiro Bruno Fernandes falou pela primeira vez ontem sobre o desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, de 25 anos, com quem teria um filho de 4 meses. Negando envolvimento no caso, no qual é apontado pela polícia como principal suspeito, o jogador do Flamengo disse que, antes de sumir, ela entregou o bebê a um amigo dele, conhecido como Macarrão.

Bruno Lousada, Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2010 | 00h00

Ele não soube dizer com precisão a última vez que viu Eliza, mas estimou que foi há cerca de três meses, quando teria conhecido o filho que ela dizia ser dele. Uma testemunha disse ter visto Eliza e seu filho no sítio do goleiro, em Esmeraldas, região metropolitana de Belo Horizonte, há cerca de três semanas.

Segundo o jogador, Eliza entregou a criança a Macarrão. Bruno disse que viu novamente o bebê no sítio, nos braços de Macarrão, mas não disse quando nem deu detalhes.

"A situação é delicada. Estou chateado e torço para que ela possa aparecer. É constrangedor para mim e para a minha família. Estou chateado por ela ter desaparecido. Quero que a gente possa voltar a conversar e ser feliz outra vez. Está difícil...", disse Bruno, depois de treinar por duas horas no Flamengo.

Ontem, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais autorizou a quebra do sigilo telefônico de Eliza. A polícia quer saber com quem ela manteve contato telefônico antes de sumir.

Laudo. A polícia afirmou que substâncias abortivas foram detectadas na urina de Eliza em teste toxicológico realizado após ela registrar queixa contra Bruno por agressão, cárcere privado e indução ao aborto. O material será enviado para análise mais completa na UFRJ, pois as substâncias podem ser encontradas no "consumo simultâneo de bebidas alcoólicas com fumo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.