Goldman vê 'motivação política' em vazamento de investigação do Cade

'A forma pela qual foram vazadas tem interesse político do governo federal do PT contra nós', afirma ex-governador

Guilherme Waltenberg , Agência Estado

05 de agosto de 2013 | 12h46

SÃO PAULO - O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman (PSDB) acusou o governo federal de ter motivação política no vazamento de informações relativas à investigação de um suposto cartel formado em licitações de obras do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) em São Paulo. "A forma pela qual foram vazadas (as informações) tem interesse político do governo federal do PT contra nós", disse, numa referência ao fato de que o governo paulista é comandado há 18 anos pelo PSDB.

Goldman apresentou como evidência do interesse político uma suposta relação familiar entre um dirigente do Cade e um ministro do governo Dilma Rousseff. "Eu ouvi no rádio que o superintendente do Cade é sobrinho do ministro (da Secretaria- Geral da Presidência) Gilberto Carvalho e isso explica", disse.

"Se o Cade sabe desde a década passada (da suposta formação de cartel), por que esperou até agora para vazar?", questionou.

Alberto Goldman participou na manhã desta segunda-feira da cerimônia de inauguração da nova sede do Centro Paula Souza, na região central de São Paulo, onde irá funcionar também a Escola Técnica Estadual (Etec) Santa Ifigênia. O evento foi conduzido pelo governador Geraldo Alckmin e também contou com a presença do ex-governador José Serra, que não quis falar com a imprensa. 

Tudo o que sabemos sobre:
cartelcademetrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.