Osvaldo F. Farias/AE
Osvaldo F. Farias/AE

Goldman promete investigação policial para falhas na Linha Vermelha

Governador de SP diz que pretende esclarecer se houve 'alguma coisa além de um acidente'

estadão.com.br,

21 de setembro de 2010 | 16h51

SÃO PAULO - Durante a inauguração da Estação Tamanduateí do Metrô, o governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), disse que os últimos incidentes na Linha 3 - Vermelha do Metrô - incluindo a falha registrada hoje - terão "investigação policial para saber se houve alguma coisa além de um acidente."

 

Veja também:

linkFalha no metrô afeta mais de 200 mil usuários

linkFalta de informação deixa milhares sem saber o o que fazer

linkUsuários relatam que passaram horas presos em trens

linkEm manhã de caos, zona leste concentra lentidão

mais imagens Galeria de fotos da manhã caótica

 

O governador explicou que a paralisação da circulação dos trens nesta terça-feira se deu por causa de uma "camisa" que impediu o fechamento da porta de uma composição. "Não se sabe por que houve quebra das janelas, dos vidros (...) Vamos abrir uma sindicância para ver se foi um ato acidental ou motivado", afirmou.

 

Goldman prometeu também que o Metrô vai trabalhar para minimizar a incidência das falhas. "Você não tem nenhuma garantia absoluta de que uma linha de Metrô não possa paralisar em algum momento", acrescentou.

 

O diretor de operações do Metrô, Conrado Grava de Souza, também confirmou que foi a blusa presa em uma das portas de uma composição que causou o problema. Ele explicou que um funcionário chegou a retirar o objeto da porta, mas o dispositivo de emergência já havia sido acionado por um usuário. "A única alternativa para o centro de controle foi evacuar os trens", disse.

 

Segundo o diretor, o Centro de Controle do Metrô possui as imagens do incidente, que serão analisadas.

Mais conteúdo sobre:
Metrôfalha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.