Gol segue sem definição sobre escalas de trabalho

No começo de agosto, quando a Gol teve de cancelar partidas após um sistema novo de escalas ocasionar a falta de tripulação com carga horária livre para voar, a Anac prometeu a aplicação de uma multa de R$ 2 milhões à empresa. Até hoje, no entanto, não houve a definição da sanção nem acordo sobre a escala dos funcionários.

Rodrigo Brancatelli, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2010 | 00h00

O problema teve seu pior dia em 2 de agosto, quando 52% dos voos da empresa atrasaram mais de 30 minutos e outros 13% foram cancelados. Dados do tráfego aéreo nacional revelaram que a Gol priorizou o cancelamento de voos regulares, em vez dos fretados, na tentativa de contornar a crise. A Anac afirmou que já havia autuado seis empresas que extrapolaram o limite de horas na jornada de trabalho - a própria Webjet estava na lista.

O caso desencadeou uma negociação entre o Sindicato Nacional dos Aeronautas e a Gol, mediada pelo Ministério Público do Trabalho. Em audiências, o órgão constatou indícios de manipulação nas escalas da empresa e propôs um acordo entre as duas partes. No entanto, a última audiência, no dia 15 de setembro, terminou sem acordo.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

1.

O que acontece com quem tem viagem de hoje até sexta pela Webjet?

A companhia prevê embarque normal. Quem cancelar terá de arcar com as despesas.

2.

A companhia vai vender passagens hoje?

Sim, mas só para voos com saída a partir de sexta-feira.

3.

Quais são os direitos de quem for prejudicado?

Reacomodação imediata em outro voo da própria companhia ou outra empresa; reembolso integral do bilhete para o passageiro que desistir da viagem; alimentação (a partir de duas horas de atraso); hospedagem e traslado (a partir de quatro horas).

4.

E a fiscalização?

Cabe à Anac. Queixas podem ser feitas pelo telefone 0800-725-4445 ou pelo site www.Anac.gov.br/faleanac.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.