ÍTALO REIS/ESTADAO
ÍTALO REIS/ESTADAO

Gloria Groove arrasta multidão em seu primeiro bloco em SP

Bloco das Gloriosas reuniu cantoras com hits do pop, axé e funk no centro; foliões reclamaram de empurra-empurra, furtos e desorganização

Ítalo Reis, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2019 | 21h48

SÃO PAULO - A cantora Gloria Groove fez uma estreia quase apoteótica no carnaval de São Paulo neste domingo, 3. Com ajuda de convidados, a drag queen paulistana puxou o Bloco das Gloriosas na região da República e arrastou uma multidão pelas ruas do centro (assista abaixo).

A festa começou por volta das 16h com o trio sendo animado por DJs durante o percurso. Gloria só começou a cantar depois das 18h30, já na chegada ao Teatro Municipal. Com o sucesso, muita gente se aglomerou em volta do bloco, o que causou algumas confusões, cenas de empurra-empurra e foliões passando mal.

Para conter os ânimos, a drag queen e seus convidados tiveram que ir ao microfone pedir que alguns foliões descessem de cima dos pontos de ônibus no trajeto, assim como bancas de jornais e alguns monumentos próximos ao Vale do Anhangabaú

Em cima do Bloco das Gloriosas, a cantora e sua banda esbanjaram hits conhecidos e cantados a pleno pulmões pelos seus fãs. Na lista, músicas como Coisa Boa, Arrasta, Bumbum de Ouro, Gloriosa e Rebola. Gloria ainda chamou Lia Clark e Pepita, que cantaram Chifrudo e Trava Trava.

A chuva, que ameaçou cair a tarde inteira e chegou a atrapalhar a folia em outros pontos da cidade, deu uma trégua e não interferiu na festa do centro. Por volta das 20h, Glória Groove encerrou a festa cantando a balada Apaga a Luz, para que o público dispersasse. 

Frustração. Nas redes sociais, foliões reclamaram da desorganização causada pela multidão. Em meio a relatos de documentos, cartões e chaves encontrados, os participantes criticavam a falta de educação de alguns e o empurra-empurra, que fez com que outras pessoas passassem mal. “Achei que fosse ganhar uma experiência boa dessa vez, mas ganhei hematomas”, criticou Gabriel Costa.

Outra foliã, Nathalia Paganin sentiu falta de segurança. “Um pesadelo, definitivamente. Glória estava maravilhosa, mas a organização foi péssima. Muita briga, muita gente passando mal pelo empurra-empurra”, reclamou.

Para quem se sentiu mal, uma equipe e uma ambulância faziam os atendimentos atrás do trio. A assessoria de imprensa do evento não informou o número de pessoas atendidas nem a estimativa de público da festa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.