Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Gil lota Ipiranga com São João em lançamento de bloco da Vai-Vai

Em cima de trio elétrico, cantor interpretou sucessos em curto show no aniversário de SP; Doria ressaltou programação da festa

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2018 | 21h00

SÃO PAULO - O cantor Gilberto Gil levou muitos paulistanos para esquina mais icônica de São Paulo durante o aniversário de 464 anos da cidade na tarde desta quinta-feira, 25. Em cima de um trio elétrico disposto no encontro das Avenidas Ipiranga e São João, na República, no centro, ele interpretou sucessos como Aquele abraço e Toda menina baiana

+++ Tarado ni Você e Baixo Augusta mesclam festa e ato político

Não faltou, contudo, homenagens à aniversariante por meio de manifestações do cantor, que incluiu Punk da periferia na playlist. De cima do trio, Gil pediu ao público que lotava as avenidas para entoar os versos "Sou um punk da periferia/Sou da Freguesia do Ó/Ó", canção que cita o bairro da zona norte paulistana.

+++ Com chuva, ensaio do Confraria do Pasmado anima foliões no Largo da Batata

Pouco antes, no mesmo trio elétrico, a escola de samba Vai-Vai lançou o seu bloco de carnaval, que passará a se apresentar anualmente durante o aniversário de São Paulo, sempre na esquina da Ipiranga com a São João, em parceria com a Cervejaria Brahma.

+++ São Luiz do Paraitinga retoma o carnaval de rua em 2018

Segundo dirigentes da escola de samba, a Vai-Vai está trazendo o "bloco do povo" para São Paulo. "O centro da cidade é nosso, e nós vamos brigar pelo centro de São Paulo", disse o presidente Tobias da Vai-Vai ao público.

Gil foi convidado à participar do evento por ser o homenageado da escola de samba no carnaval deste ano.  Os desfiles do grupo especial de São Paulo ocorrem nos dias 9 e 10 de fevereiro no Complexo do Anhembi, na zona norte de São Paulo.

Público

A psicóloga Luciana Martins, de 41 anos, elogiou a disposição do cantor aos 75 anos. "Amei ele ter tido essa disponibilidade na idade dele. O show foi curto, mas foi fofo, teve uma energia ótima", comentou. "Ser aqui, nessa aqui, também é maravilhoso, representa muito para o Gil e também para São Paulo", completa.

Já a motorista Rosane Chuiozi, de 47 anos, lamentava ter chegado no finalzinho do show. "Estava no (Vale) do Anhangabaú, no tributo ao David Bowie, queria ter visto o Gil e a bateria da Vai-Vai", conta ela, que convenceu a filha, a socióloga Thamires Silva, de 27, e o genro, o designer Rennan Santos, de 30, a esperar até o fim da noite no centro para acompanhar o show da cantora Anitta - que deve subir ao palco instalado no Vale do Anhangabaú depois das 23 horas.

Mais cedo, no Anhangabaú, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), visitou as instalações do palco principal, instalado debaixo do Viaduto do Chá, após o primeiro show, da cantora Paula Fernandes. Lá, ele ressaltou que a programação da Festa da Cidade teve atividades em todas as regiões de São Paulo, com palcos nas cinco regiões, além de um espaço de hip hop na Praça da República. 

"A cidade inteira está em festa. E aqui (Anhangabaú) é a grande celebração com a nossa rainha, essa extraordinária artista brasileira, que é a Paula Fernandes", disse. "Há milhares de pessoas aqui, no Vale do Anhangabaú, São Paulo começou a celebrar o seu aniversário, 464 anos, com o pé direito e acelerando com Paula Fernandes", elogiou.

 

À imprensa, Doria fez um agradecimento às "pessoas que cuidam" da capital. "São Paulo tem o seu principal valor no ser humano. São Paulo não é uma cidade de beleza arquitetônica ou de belezas naturais, não tem praias, mas tem uma beleza que é a sua essência, a essência do seu povo, daqueles que fazem a cidade, que tornam a cidade agradável, as pessoas que vivem aqui gostam de São Paulo também", reiterou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.