Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Gestão Haddad prevê saldo positivo nas contas entre 2016 e 2018

Projeções da Prefeitura nos próximos anos, contidas na LDO publicada no sábado, preveem superávit fiscal de R$ 1,7 bilhão em 2016, R$ 2 bilhões em 2017 e a mesma quantia em 2018

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2015 | 03h00

As projeções de arrecadação e despesas da Prefeitura nos próximos anos, contidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) publicada no sábado, preveem que o Município deve ter superávit fiscal de R$ 1,7 bilhão em 2016, R$ 2 bilhões em 2017 e a mesma quantia em 2018. É uma projeção ainda maior do que o previsto para este ano, R$ 1,2 bilhão, e o realizado no ano passado, de R$ 1,6 bilhão.

O superávit é a diferença entre a receita total da Prefeitura e suas despesas. Mas não entram na conta, por exemplo, investimentos realizados com receitas extraordinárias, como os recursos das Operações Urbanas - que só podem ser gastos na forma de investimento e na área da operação, prevista em lei. 

Mesmo com as previsões de estagnação na economia no próximo ano, as projeções da Prefeitura são de que o Orçamento da cidade aumente de R$ 50 bilhões, em 2016, para R$ 56 bilhões em 2018, com as despesas acompanhando essa taxa de crescimento. A dívida líquida da cidade, por sua vez, deixará de crescer, ficando estacionada na casa dos R$ 44 bilhões nos próximos três anos. 

Tudo o que sabemos sobre:
São PauloFernando HaddadLDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.