Gestão Doria planeja auditoria nas contas com ajuda de empresas

Paulo Uebel foi anunciado como secretário de Planejamento e Gestão pelo prefeito nesta quinta

ADRIANA FERRAZ e DANIEL WETERMAN, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2016 | 22h49

Paulo Uebel, anunciado nesta quinta-feira, 17, como secretário de Planejamento e Gestão pelo prefeito eleito João Doria (PSDB), afirmou que a administração municipal vai ter a colaboração de consultorias brasileiras e multinacionais para fazer auditoria nos processos internos e nas contas da Prefeitura, a fim de cortar gastos. Ele afirmou que essas empresas podem fazer isso sem custos para o poder público, mas não detalhou o formato.

Vindo do setor privado, Uebel negou conflito de interesses - ele já foi diretor-geral do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), de propriedade de Doria. O futuro secretário afirmou que a pasta de Negócios Jurídicos vai avaliar a forma de usar essa ferramenta dentro da lei. “Em 2017, vamos fazer convênios, procurar recursos da sociedade civil e da iniciativa privada para custear isso. As próprias consultorias já têm orçamento para fazer ações de interesse público, vamos usar isso para não usar recursos públicos.” 

O prefeito Fernando Haddad (PT) já usou o mecanismo de auditoria no início da gestão, após as manifestações de 2013 que pediam a abertura da “caixa-preta” da área de transportes. 

Obras. O futuro secretário de Serviços e Obras de Doria, Marcos Penido, afirmou nesta quinta que vai manter os projetos de mobilidade da gestão atual que não foram concluídos por falta de recursos, como corredores de ônibus. Haddad alega que não conseguiu terminar as obras prometidas por causa de atrasos nos repasses do PAC Mobilidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.