Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Gestão Doria estuda flexibilizar Lei Cidade Limpa nas Marginais

Prefeito declarou que placas permitidas atualmente tem tamanho 'quase invisível' para motoristas

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2017 | 12h37

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que estuda flexibilizar a Lei Cidade Limpa nos canteiros e viadutos das Marginais do Pinheiros e do Tietê adotados por empresas e instituições não governamentais. Segundo afirmou em agenda oficial nesta segunda-feira, 21, a mudança ocorreria porque o “volume de investimento para recuperação física dessas áreas é muito grande”.  Ele não especificou, contudo, quais seriam as modificações.

Para o prefeito, a atual contrapartida, é “quase invisível” (placas de 60 centímetros de largura por 40 centímetros de altura) para os veículos que trafegam nas Marginais. "Nós temos que compreender que quem colabora quer minimamente o reconhecimento dessa colaboração. Ainda que não tenha contrapartida, mas é justo que tenha pelo menos reconhecimento público daquilo que fazem pelo bem da nossa cidade”, declarou.

Também na manhã desta segunda-feira, em entrevista à Rádio Bandeirantes, Doria disse que “qualquer investimento” nas duas Marginais ultrapassa os R$ 15 milhões para a recuperação e a manutenção dos jardins e dos viadutos. “Talvez tenhamos que fazer alguma alteração. Estamos estudando isso e, oportunamente, se necessário, vamos levar à Câmara Municipal de São Paulo.”

À rádio, o prefeito reiterou, contudo, que as mudanças não devem interferir na legislação para canteiros e praça, que ele considera estar “funcionando bem”. “A dimensão e a quantidade são adequadas para garantir a visibilidade”, declarou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.