GCM que atirou em jovem saiu da PM por fazer sexo no quartel

Edson Damião Estavam foi expulso da corporação em 1997 e entrou na Guarda Civil de São Caetano 9 anos depois

02 de setembro de 2009 | 16h40

O guarda civil suspeito de disparar o tiro que atingiu a jovem Ana Cristina de Macedo, de 17 anos, foi expulso da Polícia Militar por praticar sexo em um quartel. Edson Damião Estavam, de 43 anos, foi expulso da PM em 1997, após quatro anos trabalhando na polícia. Ele entrou para a Guarda Civil Metropolitana em 2006, nove anos após a expuslão, segundo informações da Prefeitura de São Caetano.

 

Veja também:

linkCorpo de adolescente morta em Heliópolis é enterrado

linkMoradores ganhariam cesta básica para protestar em Heliópolis

link Em Heliópolis, 21 detidos por protesto contra morte de jovem

mais imagens Galeria de fotos dos protestos em Heliópolis

 

Carro da Guarda Civil de São Caetano parado em Heliópolis na noite de segunda-feira

 

Os guardas civis envolvidos no caso, Edson Damião Estevam, Luziel Pereira da Costa e Vicente Pereira Passos, foram afastados das funções e um processo administrativo foi aberto para apurar o tiroteio que causou a morte da jovem. Os três guardas tiveram as armas apreendidas para perícia. O caso foi registrado como homicídio simples. Os GCMs afirmaram que perseguiam um grupo que havia roubado um carro.

 

Por causa da morte de Ana Cristina, que foi enterrada nesta quarta-feira, 2, os moradores fizeram protestos, ateando fogo em carros, ônibus e depredando outros veículos. A adolescente voltava do colégio quando foi atingida pelo disparo. O namorado dela disse que Ana Cristina iria sair de São Paulo para viver com ele em Carapicuíba, na Grande São Paulo.

 

Segundo a PM, o segundo protesto feito por alguns moradores do local teria uma recompensa: alguém distribuiu avisos que os participantes iriam receber uma cesta básica caso colaborassem. A PM reforçou o policiamento no local e, durante o protesto na noite de terça, 21 pessoas envolvidas foram presas.

 

Atualizado às 17h34 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
Heliópolisconfrontopolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.