GCM promete parar fiscalização na segunda-feira

Segundo sindicato, categoria está sendo reduzida a fiscais de camelôs pelo prefeito Gilberto Kassab

Fabio Michel, do estadao.com.br,

16 Janeiro 2009 | 22h48

Integrantes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) de São Paulo fizeram assembleia e participaram de uma passeata no centro de São Paulo, na noite desta sexta-feira, em protesto contra o veto do prefeito Gilberto Kassab ao PL 673/08, que prevê o restabelecimento de várias atribuições à corporação.   Segundo o presidente do Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos de São Paulo (Sindguarda), a caminhada de hoje serviu para alertar o prefeito de que a categoria pretende paralisar as fiscalizações na região de Santo Amaro, na próxima segunda-feira (19), caso o veto seja mantido.   "Estamos dando um recado (ao prefeito Kassab), que queremos voltar a exercer nossas atividades de segurança da cidade. Estamos sendo reduzidos a fiscais de camelôs pelo prefeito", disse o presidente do Sindguarda, Carlos Augusto Sousa Silva.   Ele avisa que a categoria continuará mobilizada e que, no dia de volta aos trabalhos da Câmara dos Vereadores, 3 de fevereiro, os soldados da GCM farão um grande mutirão de doação de sangue, segundo o presidente, "para chamar a atenção da população para o objetivo do prefeito, que está querendo acabar com a Guarda."

Mais conteúdo sobre:
GCM Gilberto Kassab São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.