JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

GCM deve criar divisão de motocicletas para centralizar operações

Iniciativa deverá reunir 50 veículos para atuar em conjunto com a Inspetoria de Operações Especiais

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2017 | 19h02

SÃO PAULO - A Guarda Civil Metropolitana de São Paulo (GCM) vai lançar uma divisão específica de motocicletas, reunindo 50 veículos para atuar em parceria com a Inspetoria de Operações Especiais. Segundo o secretário municipal da Segurança Pública, coronel José Roberto de Oliveira, o objetivo é centralizar e agilizar as operações, que não terão área de atuação definidas.

"A Segurança é dinâmica, pode ter uma situação que muda rapidamente. Com a moto, a gente consegue dar resposta com muito mais velocidade, até porque São Paulo tem essa questão do trânsito”, afirma. 

O secretário argumenta também que reunir as motocicletas que antes ficavam espalhadas vai potenciar a capacidade operacional da Guarda, que vai determinar as ações diárias a partir de base de dados. “Juntas, podemos direcioná-las para operações que dependem de mais gente, mas sem esquecer da periferia”, explica.

De acordo com Oliveira, o prazo de início da divisão deve ser decidido até segunda-feira, 8, embora ainda não esteja determinado onde ficará a base de operações. 

Ao todo, a GCM detém 5.775 agentes e 60 motocicletas, das quais 10 foram cedidas durante quatro anos por uma empresa privada em evento realizado nesta quarta-feira, 3, na Prefeitura de São Paulo. Na data, também foi anunciada a doação de itens de reposição, que garantiram a reforma de 30 motocicletas. O empréstimo anunciado nesta quarta inclui, ainda, outras 10 motocicletas para a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que já estão em operação  no programa Marginal Segura.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.