Gays são agredidos por skinheads no centro de São Paulo

Artista plástico e estilista esperavam táxi na frente de um bar na Rua Augusta quando foram atacados, segundo a polícia

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

06 Novembro 2013 | 11h42

SÃO PAULO - Um artista plástico de 23 anos e um estilista de 34  foram agredidos por skinheads na Rua Augusta, região central de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira, 6, de acordo com a Polícia Civil. O caso ocorreu por volta das 4h da manhã -as vítimas seriam homossexuais.

Eles disseram à polícia que haviam acabado de sair de um bar e esperavam um táxi, quando foram atacados por três pessoas que os xingaram e deram mochiladas em suas cabeças. Um objeto dentro das mochilas provocou ferimentos na cabeça dos dois, que fugiram para dentro de um estabelecimento após um segurança abrir a porta.

À polícia, os dois deram a descrição dos agressores. Quatro suspeitos acabaram sendo encontrados pela polícia. Em revista, foi encontrado com um marceneiro de 24 anos, dentro da mochila, um bastão com parafusos e um muchaco (instrumento de arte marcial). Uma analista de 24 anos possuía um canivete e uma faca. Também foram detidos um tatuador de 23 anos e outro homem de 32.

O caso foi registrado como lesão corporal leve e injúria no 78º DP (Jardins). Como esses crimes são de ação penal privada, o inquérito depende da representação das vítimas, mas elas não quiseram continuar com a queixa, segundo a polícia, e os suspeitos não podem ser indiciados. Segundo a Secretaria de Segurança de São Paulo, os dois homens feridos foram atendidos no Pronto-Socorro da Santa Casa após saírem da delegacia.

Todos os detidos foram ouvidos e liberados, de acordo com a polícia. Os objetos apreendidos foram levados para a perícia.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.