Gavião e cisnes nascem no Zoo

Instituição ganha quatro aves geradas em cativeiro das espécies gavião-de-penacho e cisne-de-pescoço-preto

O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2012 | 03h06

O Zoológico de São Paulo, na zona sul da capital paulista, ganhou quatro moradores raros entre junho e agosto deste ano. Entre os dias 15 e 17 deste mês, nasceram três filhotes de cisne-de-pescoço-preto, espécie que não se reproduzia havia quatro anos na instituição. Dois meses antes, um filhote de gavião-de-penacho nascera. Ele é o sétimo desde 2005.

Os filhotes de cisne nasceram após 35 dias de incubação e estão sendo criados artificialmente por técnicos do Setor de Aves do Zoológico. Os cuidados são constantes e os profissionais fazem acompanhamento diário de peso e do desenvolvimento dos animais. Eles avaliam o crescimento dos bichos e também seu comportamento.

A espécie de cisnes-de-pescoço-preto tem como habitat lagos e pântanos do sul da América do Sul. Os animais se alimentam de vegetais, larvas e invertebrados aquáticos.

O gavião-de-penacho, batizado como Hermes pelos funcionários do Zoológico, nasceu no dia 19 de junho, depois de 44 dias de incubação. Os pais do gavião depositaram o ovo no chão da área de exposição. Posteriormente, ele foi transferido para uma chocadeira.

A espécie, segundo o Zoológico, vive em florestas tropicais úmidas de até 3 mil metros de altitude. Os animais preferem áreas extensas de mata bem conservada e hoje estão criticamente ameaçados de extinção. A caça e o desmatamento são os principais fatores de risco.

Aberto em 1958, o Zoológico está localizado em uma área de 824,5 mil metros quadrados de Mata Atlântica, onde há nascentes do Rio Ipiranga. Cerca de 3 mil animais estão em exibição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.