Gasto com semáforo será 5 vezes maior

O gasto com modernização de semáforos na cidade de São Paulo devem ser cinco vezes maior que o previsto pela Prefeitura. O prefeito Fernando Haddad (PT) anunciou ontem que serão necessários R$ 500 milhões para integrar os aparelhos instalados em 3 mil cruzamentos à central de monitoramento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), além de adaptá-los à chuva. Em fevereiro, ele havia dito que abriria licitação de R$ 100 milhões para substituir os faróis no centro expandido da capital.

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2013 | 01h59

Os cruzamentos beneficiados representam cerca da metade de todos os que têm semáforos na capital. Desses, só 105 são "inteligentes", ou seja, monitoraram o fluxo das vias e acionam as luzes verde e vermelha de acordo com a demanda. Com a atualização do software dos equipamentos, a Secretaria Municipal dos Transportes pretende reduzir entre 15% e 20% o tempo de espera dos motoristas.

"É um ganho extraordinário, mas o investimento também é grande. Teríamos de quintuplicar o orçamento anual da Prefeitura para esse fim, que historicamente investe cerca de R$ 25 milhões com manutenção", disse Haddad, acrescentando que este valor "não está bom". "Nós teríamos de investir um pouco mais de R$ 100 milhões por ano para ter a rede funcionando de maneira inteligente."

A gestão Haddad também quer fazer com que o futuro sistema semafórico inteligente beneficie mais o transporte público. Os equipamentos poderão detectar o aumento da demanda nos corredores de ônibus, ampliando o tempo de abertura dos faróis nesses locais.

Investimento. Metade dos R$ 500 milhões deverá ser destinada à instalação de tecnologias que resistam às chuvas e não deixem de funcionar quando os faróis forem molhados. O investimento será feito ao longo de quatro ou cinco anos, com recursos orçamentários.

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, disse que a licitação para a compra e reforma dos aparelhos será lançada em abril. Ele afirmou que espera que todos os 3 mil semáforos previstos para serem trocados devam ser substituídos até 2015. Para a próxima temporada de chuvas, no fim do ano, ele disse esperar que os transtornos já estejam "minimizados".

A Prefeitura vai contratar o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para avaliar a durabilidade e a parte elétrica dos equipamentos já instalados na capital. Tatto esteve no Reino Unido na semana passada para conhecer semáforos do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.