'Gastei R$ 10 mil sem saber que o seguro existia'

A jardineira Durvalina Neves, hoje com 61 anos, não conhecia o seguro e por isso não se preocupou em conservar as notas fiscais dos medicamentos que comprou para se recuperar de um acidente de trânsito. Atropelada em setembro de 2010, na Vila Prudente, zona leste de São Paulo, ela chegou a correr risco de morte. "Gastei cerca de R$ 10 mil e nunca tinha ouvido falar do direito ao seguro. Estava em uma cadeira de rodas quando um senhor me perguntou o que tinha havido, expliquei e ele falou sobre o DPVAT."

O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2012 | 03h03

Durvalina então reuniu a documentação necessária, ingressou com o pedido de indenização em março passado e, como ficou com sequelas (ela manca da perna direita, prensada entre dois carros), recebeu no último dia 11 indenização de R$ 4.700 por invalidez permanente. "Ainda estou tentando reunir os comprovantes de gastos acumulados durante o tratamento, mas não é fácil. Só em remédios gastei mais de R$ 700, mas a notinha envelheceu e ficou ilegível." /F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.