Garoto de 13 anos rouba o carro do pai e bate em árvore no PR

Adolescente, que teve traumatismo craniano, levava mais três meninos no veículo; nenhum deles usava cinto de segurança

Evandro Fadel / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2011 | 00h00

Um garoto de 13 anos sofreu um traumatismo craniano leve após se envolver em um acidente de carro na tarde de anteontem em Maringá, no norte do Paraná. Morador de Sarandi, município próximo, ele dirigia um Verona pego sem autorização de seu pai, o mecânico Alexandre Pistori, de 33. Ainda estavam no carro outros três meninos, um de 11 e outros dois de 12 anos. Eles tiveram ferimentos leves e seguiam internados no hospital ontem.

Testemunhas do acidente, na pista marginal do Contorno Norte, no Jardim Itatiaia, disseram que o adolescente dirigia em zigue-zague e estava em alta velocidade antes de chocar-se contra uma árvore. O acidente ainda poderia ter tido consequências mais graves, uma vez que os ocupantes não usavam cinto de segurança - dois deles foram arremessados para fora do veículo.

O menino e os colegas estudam em Sarandi e tinham saído mais cedo da escola por não terem uma das aulas. Antes, o pai do garoto havia saído para trabalhar de moto e, como de costume, deixado a chave do Verona à vista do adolescente.

Ao jornal O Diário do Norte do Paraná, Pistori disse que procuraria conversar com o filho, que teria ido morar com ele há pouco mais de um ano - o garoto morava com a mãe. Ele garantiu que o adolescente é tranquilo e não tem problemas escolares.

A Polícia Militar registrou o acidente, mas o caso não tinha sido levado à delegacia de polícia até a tarde de ontem. O pai deve responder a inquérito por permitir acesso de pessoa não habilitada a um veículo, conforme estabelece o artigo 310 do Código de Trânsito Brasileiro. A pena prevista é de seis meses a um ano de detenção ou multa, além de perda de sete pontos na carteira de habilitação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.