Garota presa por golpes nos Jardins sempre foi rebelde, diz tia

Criada pelos avós maternos, a menina chegou a ficar sob responsabilidade do Conselho Tutelar após furtos

João Naves, do Estadão,

23 de agosto de 2007 | 17h12

Rebelde desde a infância, a jovem Kelly Samara Carvalho dos Santos, 19 anos, presa na quarta-feira, 22, na região dos Jardins, em São Paulo, possui uma extensa ficha policial em Mato Grosso do Sul. Ela chegou a ficar sob a responsabilidade do Conselho Tutelar de Menores, depois de ser presa várias vezes e para concretizar golpes aplicados nas cidades do extremo sul do Estado, dizia ser veterinária ou dermatologista.   Estelionatária de luxo de 19 anos é presa em SP   Nos últimos meses, a garota freqüentou boates famosas e restaurantes caros da capital. Vestiu-se com roupas de grife, compradas em lojas da Rua Oscar Freire, nos Jardins. Hospedou-se em bons hotéis e andou em carros importados com motorista. Segundo a polícia, todas essas mordomias eram pagas com dinheiro, cheques e cartões de crédito roubados.   A garota foi criada pelos avós maternos na cidade onde nasceu, Amambaí, divisa com o Paraguai. A tia, Leodenira Carvalho, irmã de Selira Ricardo Carvalho, mãe de Kelly, explica que quando a garota nasceu Selira era solteira, não tinha condições de criar a filha sozinha. " Nós nunca conseguimos entender o porquê de tanta rebeldia. Ela teve as mesmas oportunidades que os meus filhos, nunca lhe faltou nada".   "Meu pai tem 86 anos, minha mãe 75. Meu pai prefere não tocar no assunto, se sente muito triste, magoado com os boatos que surgem. Perdemos uma irmã há três meses, ainda sentimos muito essa dor, e agora mais esse problema envolvendo a Kelly", lamenta Leodenira. Segundo a tia, a família tentou recuperar a garota.   Ela explicou que Kelly recebeu muito apoio do pai, Sérgio Luiz dos Santos, que reside no Mato Grosso onde possui uma pousada. Ficou lá três meses e depois de realizar alguns furtos, fugiu do local. O mesmo comportamento teve com a mãe, que reside em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.