Garagem subterrânea de Pinheiros abre até julho

Com 415 vagas, é o terceiro estacionamento da Prefeitura a entrar em operação; controle será da CET

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2014 | 02h01

A gestão Fernando Haddad (PT) também espera abrir até o fim de junho a garagem subterrânea do Terminal Pinheiros. Segundo a Secretaria Municipal dos Transportes, o espaço passa por "adequações finais".

Em funcionamento há quase um ano, o Terminal Pinheiros de ônibus, na zona oeste da capital paulista, tem 415 vagas para estacionamento ainda fora de operação. Trata-se do terceiro estacionamento subterrâneo construído pela Prefeitura de São Paulo. Diferentemente dos outros dois - um atrás do Parque Trianon e outro na área do Hospital das Clínicas, ambos dirigidos por concessionárias desde os anos 1990 - este será administrado pelo poder público.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), autarquia que ficará responsável pelo imóvel, o local não vem sendo usado "porque está em reforma para adequação aos padrões exigidos para exploração de estacionamento particular". No ano passado, o Estado entrou no local e observou que cerca de 30 automóveis já estavam utilizando o espaço. O empreendimento parecia estar concluído para receber veículos.

Na época, a São Paulo Obras (SP Obras), outra empresa da Prefeitura de São Paulo, havia divulgado que alguns moradores do entorno podiam estacionar os carros lá porque as vias onde moram passavam por obras de reurbanização - na área do Largo da Batata.

O acesso à garagem se dá por intermédio de uma rampa na Rua Gilberto Sabino, a mesma que alguns ônibus usam para entrar e sair do terminal, que fica ao lado da Estação Pinheiros do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Tarifa. Questionada, a CET não informou se a garagem subterrânea do Terminal Pinheiros cobrará uma tarifa dos motoristas para ser utilizada, como as outras duas. A empresa divulgou que detalhará o modo como será feita a operação do espaço quando houver o anúncio de início de funcionamento das vagas pelo público, o que deve ocorrer nas próximas semanas.

Além de abrigar carros, o estacionamento oferecerá 81 vagas para motos e 12 vagas para portadores de necessidades especiais. Uma das ideias da Prefeitura ao criar essa garagem foi estimular o uso do transporte público por pessoas que costumam andar de automóvel, em virtude da facilidade de integração com ônibus da São Paulo Transporte (SPTrans), Metrô e CPTM. O alvo são principalmente pessoas que moram em bairros da zona oeste, como Butantã e Pinheiros, e trabalham em outros pontos da cidade ou da Região Metropolitana.

No total, 26 linhas, somando 356 ônibus, já funcionam no Terminal Pinheiros, o mais novo do sistema municipal. A estação metroferroviária que fica ao lado integra as Linhas 4-Amarela, do Metrô, e 9-Esmeralda, que pertence à CPTM e margeia o Rio Pinheiros até a zona sul.

Outras garagens. Outras duas garagens previstas pelo governo Haddad são as que ficarão sob o Mercadão da Cantareira e a Praça Fernando Costa, na região central de São Paulo. O processo licitatório para a contratação de empresas interessadas na condução das duas obras está parado desde o ano passado. Em junho, o Tribunal de Contas do Município (TCM) requereu esclarecimentos sobre os empreendimentos à Prefeitura. O órgão ainda não se posicionou sobre o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.