Ganhador de R$ 18 mi na Mega-Sena ainda não reclamou prêmio

Segundo lotérica, vencedor do concurso 1.157 pegou bilhete premiado como troco; sorteio foi neste sábado

Tatiana Fávaro, O Estado de S. Paulo

04 Março 2010 | 18h20

Cinco dias após ser sorteado no concurso 1.157 da Mega-Sena, o homem que concorreu com um jogo pronto da casa lotérica Baronesa (antiga lotérica Trevo), no centro de Jundiaí, ainda não entrou em contato com a Caixa Econômica Federal (CEF) para receber o prêmio de R$ 18,1 milhões.

 

De acordo com a gerente da casa lotérica, Cristiane Caboclo, o homem comprou R$ 7 em bilhetes da loteria federal e pegou o bilhete premiado como troco. "Como ele deu uma nota de R$ 10, o dono da lotérica sugeriu que ele levasse um jogo da Mega, que estava acumulada, para inteirar. Ele levou uma surpresinha (jogo pronto) e o outro R$ 1 gastou em dois jogos da Quina", contou Cristiane.

 

O movimento de curiosos na casa lotérica é crescente. "Todo mundo vem perguntar se o ganhador da Mega já apareceu", diz a gerente. "Como pode? Tanta gente querendo ganhar e ele sumido. Só se aconteceu alguma coisa com o sujeito, não é possível", comentou o auxiliar de serviços gerais, Geraldo Borba, de 39 anos, em frente à casa lotérica. "E a gente aqui, fazendo uma fezinha toda semana pra tentar mudar a vida." Segundo Cristiane, o ganhador não está entre os clientes assíduos da casa lotérica.

 

Os boatos sobre o ganhador se multiplicaram, assim como as apostas nos jogos prontos, oferecidos pelo estabelecimento. "A venda das surpresinhas subiu uns 10% desde segunda-feira", afirmou Cristiane. "E o que já apareceu de informação sobre quem pode ser o ganhador é incrível. Tudo boato."

 

Os outros três vencedores do sorteio feito no último sábado em Florianópolis (SC) são de Brasília, Conselheiro Lafaiete (MG) e São Paulo. As dezenas sorteadas no concurso foram 9, 29, 41, 43, 46 e 49. O prazo para retirar o prêmio é de 90 dias após o sorteio.

Mais conteúdo sobre:
Mega-Sena loterias SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.