Galeria de cassino de nigerianos é interditada

A Secretaria Municipal de Controle Urbano de São Paulo fechou anteontem o Centro Comercial Presidente, na Rua 24 de Maio, no centro. A interdição pela não execução de obras de segurança aconteceu cinco dias depois de reportagens denunciarem a existência de um cassino improvisado por nigerianos. Além da interdição, a galeria recebeu três multas, cuja soma chega a R$ 156 mil. Os gerentes foram intimados em 2007 a realizar obras como instalação de quadro de força, conserto de fiação exposta, montagem de uma brigada de incêndio e revisão de extintores. Anteontem, fiscais constataram que as obras não foram feitas.

, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.