Gadelha recebia 80% do lucro

O Estado publicou na última sexta-feira um contrato firmado entre Juscelino Gadelha (PSB) e seu assessor parlamentar, Alexandre Camargo Pereira, em 2009. O documento mostra que o vereador recebia 80% do faturamento que a empresa do seu subordinado ganhava com o toboágua.

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2012 | 03h05

A reportagem esteve no endereço em que a empresa Náutica Turismo Flutuante Ltda. (que não tem site na internet nem telefone na lista) estava registrada na Receita Federal. No local, há só uma residência - vizinhos afirmaram que nunca houve uma empresa de turismo náutico ali.

Pereira trabalha na Câmara desde 1989 e é assessor de Gadelha desde 2005. Seu salário já deixou de ser R$ 23 mil, como foi em abril e maio. Em junho, ganhou R$ 7 mil. Gadelha afirmou que vai devolver o valor recebido a mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.