Gabriel e Júlia são os nomes preferidos

Pesquisa aponta gosto de paulistano para nomes de filhos

Fernanda Aranda, Jornal da Tarde

01 Março 2009 | 13h08

Valéria Gonçalvez/AEGabriel já nasceu campeão: nome tem atual preferência paulistana, diz pesquisa   Pamela, assim batizada por causa de uma personagem de novela que embalava o namoro de seus pais, não era de brincar de bonecas. Talvez por isso nunca tenha sonhado em ter um rebento do sexo feminino.   Em seus devaneios, uma ideia era fixa. O primeiro filho teria o nome do seu anjo da guarda. Há dez dias, e aos 18 anos de idade, Pamela Alves Venancio Mendonça realizou seu desejo. E o recém-nascido confirmou a estatística: Gabriel é um dos nomes preferidos para os meninos que nascem em São Paulo. A pesquisa foi feita pela Secretaria de Estado da Saúde, com a amostra de 5,1 mil partos realizados no ano passado, todos registrados nos cartórios parceiros da Maternidade Interlagos, na zona sul, local onde mais nascem crianças na cidade. Foram 57 ‘Gabriéis’ que chegaram ao mundo na unidade hospitalar.   Para Sandra Regina Zorzetto, diretora da maternidade e uma das responsáveis pelo levantamento, a liderança desse nome masculino não foi necessariamente uma surpresa. "Na verdade, a minha curiosidade sobre quais seriam os preferidos da população surgiu justamente quando na escola da Gabriele, minha filha, que tem 6 anos, havia outras 12 variações do mesmo nome, tais como Gabriel, Gabriela, Gabriele", diz ela, que garante que na infância o nome Sandra era sucesso entre as meninas. "Hoje quase não vejo crianças sendo batizadas assim."   Se Sandra já saiu de moda, Júlia está com tudo nessa geração e alcançou o primeiro lugar entre as meninas que participaram do levantamento. No total, foram 51 pequenas registradas dessa forma. "Essa foi a predileção de nome no hospital como um todo, mas o curioso é que na ala de UTI neonatal, onde ficam internadas a maior parte das crianças prematuras ou sobreviventes de gestações complicadas, o nome preferido das mães é Vitória", conta.   Júlia e Gabriel definem uma tendência que não foi identificada somente no levantamento da Secretaria da Saúde. Esses mesmos nomes estão no ranking elaborado pela entidade Certifixe, que reúne as informações dos cartórios de todo interior de São Paulo. Nos 16.819 nomes computados pelos cartórios associados, entre os dias 1º de janeiro de 2008 e 27 de fevereiro de 2009, Gabriel ficou em 4º lugar e Júlia, na 9ª colocação. A entidade, porém, não computa nomes compostos. Isso é uma das explicações para a liderança ser ocupada por Maria, João e Ana, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro lugares.   Na Maternidade Interlagos, por exemplo, o segundo lugar feminino também é para Maria, só que Maria Eduarda. Em 2007, Maria apareceu também em um estudo feito pela Fundação Seade com base em 179 mil crianças que nasceram na capital no ano anterior. Também constavam no levantamento Giovana e Júlia, para as meninas, e Gabriel, Pedro e João, para os meninos.   Modismo   Segundo os pediatras, nomes são como roupas, seguem modismos, mas também passam por tradições de família, promessas e até ídolos. Em época de Copa do Mundo, lembra Sandra, o nome do artilheiro é o que mais aparece. E quando há shows internacionais no Brasil, as estrelas também nascem nos hospitais de São Paulo. No hospital de Interlagos, já nasceu até uma Tina Turner. Na Maternidade Municipal de Itaquera, um Elton John e um Michael Jackson. "Este ano, deve haver um monte de Madonnas", prevê a diretora do hospital da zona sul de São Paulo.   O ranking: MENINOS1º- Gabriel2º- Kauan3º- Gustavo4º- Lucas5º- Matheus   MENINAS1º- Júlia2º- Maria Eduarda3º- Emilly4º- Ana Clara5º- Yasmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.