Furtos frequentes

No dia 4/6, peguei o ônibus da linha Terminal Campo Limpo-Aclimação. Antes de descer do ônibus, no ponto em frente ao Parque Trianon, na Avenida Paulista, notei que algumas pessoas comentavam com o cobrador que alguém estava furtando as pessoas lá dentro. Quando desembarquei, percebi que minha bolsa fora arrombada e que furtaram minha carteira. Fiz um B.O., cancelei meus cartões e entrei em contato com a SPTrans, que me informou que não poderia registrar minha queixa e disse para procurar a Polícia Militar. Entrei em contato também com o consórcio Transppass. Com descaso, informaram que não poderiam registrar minha queixa e tampouco tomar providências. Somente me pediram para voltar a procurá-los em 7 dias para checar se minha carteira havia sido encontrada num dos ônibus. Gostaria que providências fossem tomadas por parte da Prefeitura de São Paulo e da SPTrans, além da empresa Transppass, para que furtos dessa natureza parassem de ocorrer. Exijo, como cidadã, que minha segurança seja assegurada dentro dos coletivos. Também exijo que a empresa de transporte abra um canal para registrar tais ocorrências.

, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2010 | 00h00

CAMILA JERGER DE SOUZA GOMES MORENO / SÃO PAULO

A SPTrans não respondeu.

A leitora comenta: Não recebi nenhuma resposta da SPTrans. Depois soube pelo cobrador que esses tipos de furtos são frequentes. Há uma quadrilha de três pessoas que age de forma profissional para praticar esse tipo de crime. Ela age sempre no eixo Clínicas-Paulista em coletivos lotados. Acho que é muito útil alertar os usuários desse grave problema.

TRANSPORTE PÚBLICO

Faltam ônibus

Todos os dias pego o ônibus 669A, que passa pela Rua da Consolação para ir à faculdade. Segundo a SPTrans, deveriam passar 7 carros entre 12 e 12h59, mas já cheguei a ficar no ponto esperando das 11h50 até as 12h20. Mesmo quando passam de 7 em 7 minutos há um número de pessoas maior do que a capacidade do veículo. Deveriam pôr mais ônibus para circular no horário de pico.

SOFIA MIRANDA / SÃO PAULO

A SPTrans não respondeu.

PROMOÇÃO SEM PARAR

Problema de interpretação

A CCR Via Fácil oferece o Sem Parar por 30 dias para que o cliente o experimente sem custos. Diz que, após 1 mês, receberemos a fatura ou débito em conta corrente somente com o valor dos pedágios utilizados. A mensalidade somente é cobrada em caso de aceitação. Após os 60 dias é que começa o golpe. A empresa envia o valor de R$ 58,33 como aceitação do teste drive, mais mensalidade proporcional do mês passado e a mensalidade do mês atual, totalizando R$ 75,78 - sem que o usuário tenha utilizado o pedágio nesse período.

LUIZ ANTONIO FEITOSA

/ GUARULHOS

A STP explica que a promoção oferecida se chama Test Drive e tem o objetivo de oferecer um período de experimentação de 30 dias sem cobrar pelos serviços (o cliente paga só as passagens pelos pedágios e estacionamentos). Após esse prazo, a menos que haja devolução do aparelho, são cobradas as taxas de adesão e mensalidade. Essas regras são entregues por escrito a todos os clientes que assinam o protocolo de recebimento, conforme confirmado pelo sr. Feitosa, com quem a empresa entrou em contato para esclarecimentos.

PROPOSTA DA NET

Correção de cadastro

No dia 5/5 recebi um telefonema da NET oferecendo a instalação do decoder HD sem nenhum custo. Mas, depois de instalado, veio a surpresa: a assinatura do Virtua foi aumentada em 40%, além da cobrança da taxa de instalação. Reclamei até na Ouvidoria. A NET disse que, para eu ter direito ao decoder HD, o "pacote" exige que a assinatura do Virtua passe a ser de 3 megas, daí o aumento da assinatura. Expliquei que isso não me foi dito e que, se o fosse, não concordaria, mesmo porque não preciso dessa velocidade. Não houve jeito. Para voltar à cobrança anterior, só me restou passar pelo constrangimento de concordar com a devolução do decoder, voltando a usar o modelo comum.

JOSÉ CARLOS ISMAEL

/ SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com o sr. Ismael em 21/6 e realizou a correção do cadastro.

O leitor contesta: Como não sei o que a NET entende por "correção de cadastro", nem ela diz o que é, ficamos assim, no tal telefonema, ela nada explicou, nada justificou e nada propôs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.