Furto de combustível danifica duto da Petrobras em Itaquaquecetuba (SP)

Tubulação da Petrobras foi danificada após desconhecido cavar poço em um terreno para furtar o combustível, no bairro Jardim Tropical

Pedro da Rocha e Ricardo Valota, do estadão.com.br,

05 Outubro 2011 | 02h22

SÃO PAULO - A polícia procura o responsável por ter escavado um poço, o ligado a um duto da Petrobras e, por meio de uma válvula, jogado combustível para dentro do reservatório. A Defesa Civil de Itaquaquecetuba, onde fica o terreno em que passa o duto, suspeita que o líquido era retirado com o auxílio de uma bomba e armazenado em caminhões. O material é altamente inflamável e o trabalho de retirada da ligação clandestina é feito com cuidado por haver a possibilidade de explosão.

 

A escavação criminosa ocorreu num terreno localizado na Avenida Registro, no Jardim Tropical, em Itaquaquecetuba, região leste da Grande São Paulo. Policiais militares, bombeiros e técnicos da Defesa Civil foram acionados, na manhã de terça-feira, 4, após moradores ouvirem três explosões, verem labaredas de fogo de quase seis metros e sentirem um forte cheiro de gasolina vindo do terreno.

 

"Quando chegamos ao local, retiramos os moradores das duas construções próximas ao terreno para a segurança deles", contou Dirceu Baz, da Defesa Civil Municipal. As chamas foram extintas por volta das 16 horas do mesmo dia. "Acionada, a Petrobras conseguiu autorização do dono do terreno para derrubar um muro que cercava a área do poço, assim como um barraco. Esta medida facilita o trabalho de retirada da cambiarra", contou Baz, que disse ainda ter ficado impressionado com a execução da conexão com o duto, "que fez isso possui um bom conhecimento técnico".

 

A área, segundo o proprietário contou à polícia, foi alugada há seis meses para um desconhecido. Ele não assinou um contrato legal de aluguel. O criminoso, segundo a polícia, cavou o poço, de quatro metros de profundidade por um metro de diâmetro, forrou as paredes com anéis de concreto e fez uma ligação com a tubulação, da qual começou a furtar nafta, um derivado do petróleo.

 

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) esteve no local para colher amostras do solo e da água de um riacho, próximo ao terreno, para verificar se foram contaminados.

 

Às 4h30 desta madrugada de quarta-feira, 5, técnicos da Petrobrás permaneciam no terreno. Foram instalados banheiros químicos e um trailer cozinha na área para uso dos empregados da empresa. Não há previsão de término dos trabalhos.

 

Texto atualizado às 6 horas

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.