Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Furto de cabos em estações de metrô e trem dá prejuízo de R$ 2,3 mi

Até agosto deste ano, mais de 57 mil metros de cabo foram furtados

LUIZ FERNANDO TOLEDO, O Estado de S. Paulo

18 de novembro de 2016 | 04h00

SÃO PAULO - O Metrô e a Companhia Paulista dos Trens Metropolitanos (CPTM) gastaram R$ 2,3 milhões para repor cabos de iluminação e de fibra óptica roubados nas estações entre 2015 e 2016. 

Até agosto deste ano, mais de 57 mil metros de cabo foram furtados. Só o Metrô teve prejuízo de R$ 1,3 milhão no período, com 31,6 mil metros de cabos furtados. Na CPTM, a perda foi de R$ 1,05 milhão, com 26,2 mil metros. No período, segundo levantamento do Estado, foram registrados 38 boletins de ocorrência em diferentes delegacias sobre o problema. 

Os casos relatados por seguranças das companhias à polícia mostram que os crimes são cometidos em pequenos grupos, de duas a cinco pessoas, na madrugada. Eles se dirigem às galerias de cabos e cortam os objetos com alicates, levando-os em pequenas quantidades. O metro do fio de cobre pode ser vendido por até R$ 100. 

Em um dos episódios, em setembro do ano passado, na Estação Carrão da Linha 3-Vermelha, funcionários abordaram um homem de 25 anos que fugia com os fios de cobre. Ao capturá-lo, encontraram com ele uma sacola de ferramentas. Ele admitiu à polícia que não era a primeira vez que furtava os cabos. Em sua posse estavam 16 metros de cabo, equivalentes a R$ 1.600. O homem foi detido, sem direito a fiança.

A Secretaria da Segurança Pública, em nota, afirmou que a segurança dos terrenos e áreas pertencentes ao Metrô e à CPTM é de responsabilidade das empresas, mas que faz o patrulhamento no entorno das estações. 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULOMetrôCPTM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.