Funcionários do Center Norte já têm rotina contra gás

O risco de explosão no Center Norte mudou a rotina de parte dos comerciantes e trabalhadores do empreendimento desde abril, como relatou a funcionária de uma loja de roupas femininas localizada em área já medida pela Cetesb. "Duas vezes por semana, a gente só podia abrir a loja após a medição dos bombeiros do shopping. Nenhum funcionário podia entrar, só ele. A gente perguntava sobre o que era, mas só diziam que era para analisar a qualidade do ar. Só depois que a Cetesb anunciou a contaminação é que tivemos ideia do que estava acontecendo", explicou a gerente Cecilia Osorio, de 36 anos. Outras quatro lojas, no mesmo corredor, confirmaram o mesmo procedimento.

O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h02

Há duas semanas, um técnico da Cetesb pediu para que o procedimento fosse ainda mais cauteloso. "Antes de abrir a loja, a funcionária deve deixar as portas abertas para o ar circular, pelo menos, durante dez minutos. Só em seguida a gente pode acionar a chave geral e ligar a luz da loja. A funcionária que faz isso todo dia está apavorada", disse Cecilia. /FABIANO NUNES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.