Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Funcionários decidem manter greve no Detran

Categoria rejeitou proposta de acordo apresentada pelo órgão do governo estadual; emissão de CNH já atrasa

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

22 Junho 2016 | 19h06

SOROCABA - Os funcionários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) rejeitaram, nesta quarta-feira, 22, proposta de acordo apresentada pelo órgão do governo estadual e decidiram manter a greve iniciada na segunda-feira, 20. O Detran pretendia a formação de um grupo de trabalho para discutir, em um prazo de 30 dias, as reivindicações da categoria, com a volta imediata ao trabalho. De acordo com o Sindicato da Carreira Administrativa do Estado de São Paulo (Caesp), mais de 80% dos servidores presentes rejeitaram a proposta.

A greve já causa atraso na emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e de documentos de veículos nas cidades atendidas pelo serviço de trânsito. Por se tratar de serviços essenciais, os grevistas são obrigados a manter 30% dos servidores em seus postos de trabalho. O Detran informou que a greve é parcial e as unidades funcionam normalmente, embora reconheça atrasos pontuais.

A categoria reivindica reajuste salarial de 26,3%, incluindo reposição de perdas, e aumento na bonificação por resultados, além de mais segurança no trabalho. A greve atinge 306 sedes do Detran no Estado, além de 309 seções de trânsito. 

O Detran informou dispor de quase 30 serviços em seu portal na internet que podem ser acessados pelos usuários sem necessidade de ir à repartição. Muitos serviços também podem ser feitos nas unidades do Poupatempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.