Funcionários da Saúde também param o centro

Cerca de 600 agentes da Saúde da Prefeitura de Salvador entraram em greve ontem e paralisaram o centro da cidade com uma passeata que durou quase duas horas. Com salário mensal de R$ 510, os agentes pedem um piso salarial fixo de R$ 850. Os agentes são responsáveis pelas ações de combate à dengue na capital baiana.

O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2012 | 03h05

Segundo Enádio Pinto, presidente da Associação dos Agentes de Combate às Endemias (AACES), a Prefeitura não respondeu à maioria das reivindicações da categoria nos últimos anos, o que levou à greve. "Estamos pedindo bem menos da metade do que a PM já recebe (R$ 2.400 mensais). Nossas famílias estão passando necessidade", argumentou o líder sindical. A passeata pela Avenida Sete de Setembro complicou o trânsito no centro histórico e na região do Pelourinho. E os agentes prometem suspender na semana do carnaval todas as visitas em residências para combater focos do mosquito transmissor da dengue. / DIEGO ZANCHETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.