Google Street View
Google Street View

Funcionário de centro de assistência social é assassinado em São Paulo

Suspeito está sendo procurado pela Polícia Civil, que não informou a motivação do homicídio. Centro suspendeu temporariamente as atividades

Ana Paula Niederauer e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2018 | 18h23

SÃO PAULO - Um funcionário do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Sé, da Prefeitura de São Paulo, foi morto a tiros em um anexo da unidade, localizado no Bom Retiro, na manhã desta quarta-feira, 11. Um suspeito de ter cometido o crime está sendo procurado pela polícia.

+ Turista sofre assalto em SP e liga para a Alemanha pedindo socorro

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública, o crime aconteceu às 6h da manhã desta quarta na Avenida Tiradentes, onde está localizado o centro. O homem entrou no local, efetuou os disparos contra Wilson Silva Teles, de 41 anos e que trabalhava há cinco anos no local, e fugiu. Teles era funcionário terceirizado do setor de transportes e estava no prédio da Supervisão de Assistência Social (SAS) quando foi atacado. 

A Polícia Civil investiga um homem de 36 anos que é considerado suspeito de ter cometido o homicídio. Os investigadores pediram a sua prisão temporária e, até a noite desta quarta, ainda realizavam diligências para tentar localizá-lo. O caso foi registrado como homicídio simples no 2.º Distrito Policial (Bom Retiro), que deve dar continuidade às investigações do caso. 

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) lamentou o ocorrido e informou que os serviços para atendimento ao público foram temporariamente suspensos. O Cras faz em média, mensalmente, 4 mil atendimentos diretos.  

Mais conteúdo sobre:
homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.