Funcionário da TAM relata momento exato do acidente

Um funcionário de manutençâo da TAM viu o exato momento em que o piloto da aeronave pousava na pista e tentou arremeter, provavelmente temendo nâo poder concluir a aterrissagem.   "Vi ele tentar desarmar o reverso e arremeter", disse ele, que pediu para não ser identificado pela reportagem. Ordens da empresa. Sem conseguir realizar a manobra de voltar ao ar, a aeronave bateu de bico no posto de gasolina e atingiu, em seguida, o prédio da TAM Express.   O funcionário estima que o Airbus 320, prefixo MBK, estava numa velocidade superior a 150 quilômetros por hora. Alta demais para uma pista em condições precárias, segundo ele. "A semana inteira os pilotos reclamaram da pista escorregadia, que um acidente grave seria inevitável.   O acidente da Pantanal foi um aviso." Logo após o acidente, ele permaneceu por alguns minutos na esquina das Ruas Otavio Tarquinio de Souza e Baronesa de Bela Vista, atrás do prédio da TAM Express. O funcionário viu quando dois colegas foram resgatados pelos bombeiros, que utilizavam a escada Magirus. Eles estavam no segundo andar do prédio em chamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.