Reprodução
Reprodução

Funcionário da CPTM atira contra homem na Estação Mauá

Segundo a SSP, o funcionário alegou que o tiro foi efetuado para dispersar tumulto formado após a equipe de segurança flagrar venda irregular de bilhetes

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2016 | 15h22

Um agente de segurança da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos  (CPTM) fez um disparo de arma de fogo contra um homem na Estação Mauá, da Linha 10-Turquesa, na noite de sábado, 15. A Companhia alegou que o tiro aconteceu em legítima defesa após o funcionário ter sido agredido por um grupo que vendia ilegalmente bilhetes. O homem passa bem.

Segundo informações registradas no boletim de ocorrência e confirmadas pela CPTM, o funcionário identificou um grupo de cinco homens que estaria recebendo R$ 3 para liberar a catraca na estação na região metropolitana de São Paulo. Ao se aproximar, um deles, um padeiro de 39 anos, teria se negado a deixar o local, dizendo que estaria portando uma arma e tinha proteção de criminosos da região.

Após a conversa, o padeiro teria dado um soco no agente, ferindo-o na cabeça. Nesse momento, companheiros do homem teriam voltado ao local e participado das agressões. Com a briga, o tiro foi disparado, atingido a coxa esquerda do padeiro. O homem foi socorrido e levado para atendimento no Hospital Dr. Radamés Nardini, em Mauá, e o agente também precisou de cuidados médicos.

"A companhia registrou boletim de ocorrência no 1.º DP de Mauá. O segurança envolvido ficará afastado para realização das apurações internas da CPTM, que também irá colaborar com a autoridade policial, responsável pelas investigações", informou por nota. A companhia disse fiscalizar o comércio irregular de bilhetes em suas dependências, encaminhando os suspeitos para a polícia e apreendendo os bilhetes para sanções administrativas. 

Tudo o que sabemos sobre:
CPTMSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.