Funcionárias recusam atendimento no Cratod

Duas assistentes sociais se recusaram a atender um adolescente de 14 anos, que usa crack desde os 10, no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas ontem. O garoto foi levado à unidade pela mãe. Ao saber da recusa, a Ordem dos Advogados do Brasil solicitou apuração do caso. A Secretaria de Estado da Saúde disse que o atendimento médico do paciente não foi prejudicado. Ele está sedado, em observação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.